Calculadora

PRECIFICA PRO

Preencha os campos abaixo e descubra o lucro gerado pelo seu produto.



Insira o preço previsto ou o praticado atualmente.
Caso seja um revendedor, adicione aqui o preço do seu produto comprado para revender. Ex.: linha, elástico, tag, etiqueta e outros itens de aviamento. Insira aqui o custo do seu unboxing completo.
Insira somente as despesas administativas. Insira o somatório dos investimentos em tráfego pago, em parcerias, em propagandas e em equipe de marketing.
Insira o somatório dos descontos aplicados em ações e promoções. Insira zero caso não possua vendedor. Insira a média dos juros de cartão descontados mensalmente ou por venda.

Clique em ‘Calcular’ e analise os resultados.

Clique em ‘Salvar’ para salvar a precificação em seus relatórios.


Dados Salvos

Nome do Produto Preço do Produto (R$) Custo da Matéria Prima por produto (R$) Custo da Mão de Obra por produto (R$) Custo dos Aviamentos por produto (R$) Custo de Embalagem por produto (R$) Custo de Produção Fotográfica e Vídeo por produto (R$) Faturamento mensal da empresa (R$) Despesa Fixa Mensal (R$) Investimento em Marketing Mensal da empresa (R$) Ações de Marketing (%) Comissão dos Vendedores (%) Juros de Cartão e Antecipação (%) Impostos (%) Custo Variável por produto (R$) Percentual do Custo Variável (%) Mark-Up Desp. Fixa Mensal (%) Desp. Fixa por Produto (R$) Investimento em Marketing Mensal (%) Investimento em Marketing por Produto (R$) Despesa Operacional por Produto (R$) Custo das Ações de Marketing (R$) Custo das Comissão dos Vendedores (R$) Custo dos Juros de Cartão e Antecipação (R$) Custo dos Impostos (R$) Custo de Venda por Produto (R$) Custo Total por Produto (R$) Percentual de Custo Total por Produto (%) Lucro por Produto (R$) Margem de Lucro por Produto (%) Ações

Obs.: Caso tenha dúvidas ao preencher as informações leia as Perguntas Frequentes abaixo.

Perguntas Frequentes

Para que tudo funcione perfeitamente, você só precisa inserir algumas informações importantes da sua empresa. São dados essenciais, que não ficarão salvos na plataforma, para que a plataforma faça o cálculo correto e te dê uma visão clara da lucratividade do seu produto.

Atenção: Não coloque ponto (.) em nenhum dos campos, por exemplo: sendo cinquenta mil o faturamento mensal, não coloque 50.000 e sim 50000 ou 50000,00 . E nenhum dos campos deve ser preenchido com R$ e nem % . 

Não copie e cole os valores de outros lugares para cá, digite todos os números em cada campo, porque muitas vezes esse valor copiado de outro relatório virá com um ponto ou até mesmo com um R$ junto, o que irá dar erro nos resultados.

Aqui estão os campos que você precisará preencher:

  • Nome do produto 
  • Preço sugerido
  • Faturamento mensal da empresa
  • Despesa fixa mensal
  • Investimento em Marketing Mensal
  • Custo de Matéria-Prima por Produto
  • Custo de Mão de Obra por Produto
  • Custo de Aviamentos por Produto
  • Custo de Embalagens por Produto
  • Custo de Produção Fotográfica e Vídeo por Produto
  • Ações de Marketing (percentual)
  • Comissão dos Vendedores (percentual)
  • Juros de Cartão e Antecipação (percentual)
  • Impostos (percentual)
  • E-mail: Caso desejar receber a precificação diretamente no seu e-mail após clicar em enviar.

É rápido e simples de preencher! Após inserir essas informações, a Precifica AI vai calcular tudo automaticamente para você entender melhor como está a saúde financeira dos seus produtos.

Preencha com o numeral 0 (zero) o campo que não tenha ou não incida nenhum valor sobre o seu produto.

Essa instrução se aplica a negócios que não fabricam seus próprios produtos, mas sim adquirem de terceiros para revender. Isso é comum em varejistas e distribuidores.

Inclua o custo desse produto no campo de Custo Variável em Custo de Matéria Prima.

A importância do faturamento mensal na precificação de produtos é destacada, uma vez que proporciona uma visão mais clara da capacidade de geração de receita da empresa.

A consideração do faturamento permite incorporar as despesas fixas, bem como os investimentos em marketing, no preço final do produto. Essa abordagem assegura que todos os custos operacionais e estratégicos sejam cobertos, além de contribuir para a margem de lucro desejada.

Quanto ao estoque, a razão pela qual ele muitas vezes não é diretamente considerado no cálculo do preço de venda unitário é porque os produtos em estoque representam um capital investido que ainda não gerou retorno. O foco na quantidade de estoque seria mais relevante em situações onde o gerenciamento de estoque se torna crítico, como em produtos perecíveis ou de alta obsolescência. No entanto, em uma perspectiva geral de precificação, o que realmente importa é quantificar quanto da produção esperamos vender dentro de um período específico e a que preço, para cobrir os custos e gerar lucro.

Além disso, prever a taxa de venda do estoque, ajuda na gestão financeira e a precificação fica focada mais na sustentabilidade e crescimento do faturamento. Isso garante que a empresa não apenas recupere seus custos e investimentos, mas também capitaliza sobre suas operações, independentemente das flutuações no volume de estoque.

Primeiro, revise se você colocou todas as informações corretamente. Não coloque ponto (.) em nenhum dos campos, por exemplo: sendo cinquenta mil o faturamento mensal, não coloque 50.000 e sim 50000 ou 50000,00 . E nenhum dos campos deve ser preenchido com R$ e nem % .

Digite todos os valores, Não copie e cole os valores de outros lugares para cá, porque muitas vezes esse valor copiado virá com um ponto ou até mesmo com um R$ junto, o que irá dar erro nos resultados.

Após realizar as devidas correções e ainda continuar os valores, quando o resultado mostrar um lucro negativo ou excessivamente alto, é essencial adotar uma abordagem detalhada e sistemática. A análise deve considerar todos os elementos do modelo de custo e preço, identificando áreas onde ajustes podem ser necessários. Aqui estão os passos recomendados para tal análise:

1. Revisão dos Custos Variáveis e Despesas Fixas

  • Custos Variáveis: Verifique se os custos de matéria-prima, mão de obra, aviamentos, embalagens e produção fotográfica estão precisos e refletem os preços atuais do mercado. Custos subestimados podem resultar em lucros inflados, enquanto superestimados podem levar a prejuízos.
  • Despesas Fixas: Assegure-se de que as despesas fixas, como aluguel, salários fixos, e outros gastos regulares, estão corretamente contabilizados e distribuídos de forma proporcional ao número de unidades vendidas.

2. Análise de Preço Sugerido

  • Verifique se o preço sugerido está alinhado com o valor percebido pelo mercado. Um preço muito acima do aceitável pode reduzir as vendas, enquanto um preço muito baixo, mesmo que aumente o volume, pode não cobrir os custos, reduzindo o lucro ou gerando perdas.

3. Despesas de Marketing e Vendas

  • Avalie o investimento em marketing e as despesas relacionadas à comissão de vendedores, marketing direto, e custos adicionais como juros de cartão e impostos. Estes custos devem ser justificáveis pelo retorno em termos de aumento de vendas e penetração de mercado.

4. Análise do Lucro e Margem de Lucro

  • Lucro Negativo: Se o lucro for negativo, identifique os principais impulsionadores. Isso pode incluir custos variáveis ou fixos excessivos, um preço de venda inadequado, ou despesas operacionais que não estão sendo eficientemente geridas.
  • Lucro Excessivamente Alto: Embora um lucro alto possa parecer positivo, é importante avaliar se o preço está muito elevado em relação ao mercado, o que pode limitar o volume de vendas a longo prazo e afetar a competitividade da empresa.

5. Simulação de Cenários

  • Realize simulações de diferentes cenários de precificação ajustando variáveis-chave como custos de produção, preço de venda, e investimento em marketing. Isso ajudará a entender a sensibilidade do lucro a diferentes condições de mercado e a identificar um ponto ótimo.

6. Feedback do Mercado e Ajustes

  • Colete feedback dos clientes sobre o preço e a percepção do valor do produto. Ajustes podem ser necessários com base nas preferências e na disposição de pagamento do cliente.

7. Monitoramento Contínuo

  • A precificação não é um processo estático; requer revisões contínuas à medida que os custos, o mercado e as condições econômicas mudam. Mantenha um sistema de monitoramento para ajustar rapidamente a estratégia de preços conforme necessário.

Ao seguir estes passos, você pode assegurar que a estratégia de precificação seja robusta, justa e alinhada com os objetivos de longo prazo da empresa, maximizando o lucro enquanto mantém a competitividade no mercado.

A margem de lucro ideal para uma empresa pode variar significativamente dependendo de vários fatores, incluindo o setor de atuação, a estrutura de custos, a estratégia de mercado, a concorrência e as expectativas daqueles que estão à sua volta, como o próprio público comprador ou até mesmo os sócios.

Como recomendação prática, para a maioria das empresas que vendem produtos físicos, uma margem de Margem Líquida de 10 a 20% é considerada saudável e sustentável.

No entanto, é ideal que se faça uma pesquisa de preços no mercado e realizar uma análise competitiva detalhada para definir uma margem que suporte tanto a competitividade quanto a viabilidade financeira de longo prazo da empresa.

Lembrando, que esse é o lucro depois do sócio já ter retirado o salário (pró-labore) dele.

  • Esta margem de lucro prevista na precificação é teórica e baseia-se em premissas como volume de vendas ou de faturamento esperado, custos estáveis e condições de mercado favoráveis no momento da precificação.
  • Fatores como variações nos custos de insumos, mudanças na demanda, eficiência operacional, despesas não planejadas e ações da concorrência podem afetar significativamente os custos e as receitas, alterando o lucro real em relação ao lucro esperado inicialmente.

A distribuição de dividendos ou lucros está sujeita a condições financeiras da empresa e não podem ser distribuídos se isso comprometer a saúde financeira dela.

Se precisar de uma análise mais específica ou de ajuda para calcular a margem ideal para sua empresa, estamos à disposição no Whatsapp para orientar nesse processo.

É o somatório das despesas com aluguel do espaço físico, salários dos funcionários (excluindo os salários do setor de marketing), energia elétrica, contador, mensalidade do site, assinaturas de softwares e outras despesas.

Lembre-se de incluir nessa despesa o SALÁRIO DOS SÓCIOS, que são chamados de PRÓ-LABORE. Em alguns casos pode ocorrer de não ter um salário para o sócio, mas pode estar ocorrendo algumas retiradas ou sendo efetuados alguns pagamentos de propriedade particular do sócio com o dinheiro da empresa, então isso pode ser contabilizado nas despesa fixa.

Nesta despesa NÃO incluem os gastos com a mão de obra, nem investimento de marketing, nem matéria prima, nem juros de cartão, nem impostos ou qualquer custo direto com a fabricação do produto.

É a soma dos salários dos funcionários do setor de marketing ou o custo dos prestadores de serviços de marketing, até os investimentos em tráfego pago e influenciadores.

Se você comercializa o seu produto em uma loja virtual e a venda do produto não pode acontecer sem um ensaio fotográfico, recomenda-se você NÃO inclua neste campo o gasto com ensaios fotográficos ou a produção de uma coleção. O ensaio fotográfico e esta produção, neste caso, entrará nos Custos Variáveis em Custo de Produção Fotográfica e Vídeo por Produto, visto que não tem como vender sem ter fotos na loja virtual.

Os Descontos das estratégias de marketing NÃO são aplicados neste campo, somente no campo de Custos de Venda nas Ações de Marketing.

O custo variável por produto é composto por várias despesas que variam diretamente com a quantidade de produtos fabricados ou vendidos. Estes incluem:

  1. Custo de Matéria-Prima por Produto: Refere-se ao valor gasto com os insumos diretamente utilizados na produção do produto, como tecidos no caso de roupas. Este custo inclui também o frete relacionado ao transporte dessa matéria prima ou insumos, fracionado para cada unidade do produto. Caso não fabrique e já compre o produto pronto para a venda, coloque o custo dele neste campo.
  2. Custo de Mão de Obra por Produto: Representa o valor pago pela mão de obra diretamente envolvida na fabricação de cada unidade do produto.
  3. Custo de Aviamentos por Produto: Envolve os custos de pequenos acessórios ou componentes adicionais necessários na produção, como botões e zíperes para vestuário.
  4. Custo de Embalagens por Produto: Inclui o custo das embalagens usadas para acomodar e proteger o produto para venda.
  5. Custo de Produção Fotográfica e Vídeo por Produto: Refere-se ao custo associado à produção de material fotográfico e de vídeo específico para a promoção de cada unidade produzida com base nos produtos fotografados.

Esses custos são todos variáveis porque aumentam ou diminuem dependendo da quantidade de produtos fabricados ou vendidos.

É a soma total dos percentuais de todos os descontos que você planeja oferecer. Isso pode incluir:

  1. Desconto do cupom de primeira compra: Um incentivo comum para atrair novos clientes, que recebem um percentual de desconto em sua primeira compra.
  2. Desconto por pagamento à vista: Frequentemente oferecido para encorajar pagamentos imediatos, reduzindo a necessidade de lidar com créditos e atrasos no pagamento.
  3. Percentual de desconto por aplicar o frete grátis: Embora tecnicamente o frete grátis não seja um desconto direto no preço, o custo do frete é absorvido pelo vendedor e percebido como um desconto pelo comprador.

Ao somar esses percentuais, você tem uma visão clara do impacto total dos descontos no preço do produto, permitindo ajustar sua estratégia de preços para manter a lucratividade enquanto atrai clientes. Essa abordagem é essencial para uma gestão eficaz, especialmente em um cenário competitivo da loja virtual onde cada detalhe na apresentação do preço pode influenciar a decisão do consumidor.

O mark-up é um fator multiplicador aplicado diretamente sobre o custo variável de um produto para definir o preço de venda. Esse fator é calculado para cobrir todas as despesas operacionais e gerar lucro.

Para exemplificar, se um produto custa R$ 100 para ser produzido e a empresa decide aplicar um fator de mark-up de 2,5 (ou 250%), o preço de venda será calculado multiplicando-se o custo variável pelo fator de mark-up. Portanto, o preço de venda será R$ 100 x 2,5 = R$ 250.

Este método deve assegurar que o preço final cubra o custo variável do produto, as despesas operacionais e custos de venda e ainda proporciona a margem de lucro desejada pela empresa.

Compartilhar

A Precifica PRO de Análise Inteligente é uma ferramenta gratuita. Se achou esta ferramenta útil, por favor, compartilhe com outros empreendedores.

Quer aprender mais sobre precificação e gestão financeira?

Conheça a Mentoria Personalizada, Individualizada e com aulas Ao Vivo do Professor Vitor Peyroton. Clique no banner e saiba mais.

Ainda tem alguma dúvida?

Entre em contato agora com nosso atendimento, conheça nossos planos e saiba como podemos te ajudar.