Analisando a notícia recente, do dia 31/10/2023, da SouthRock Capital, operadora de marcas emblemáticas como Starbucks, Subway e Eataly no Brasil, solicitou recuperação judicial, com uma dívida estimada em R$ 1,8 bilhão, conforme documento protocolado junto à 1ª Vara de Falências da Justiça de São Paulo.

Desta forma, vemos que isso nos lembra de uma verdade incontestável no mundo dos negócios:

Enquanto o branding é essencial, uma gestão financeira sólida e meticulosa é a espinha dorsal de qualquer empresa bem-sucedida.

Branding é a arte de criar uma imagem forte e uma conexão emocional com o consumidor. Empresas como Starbucks, com seu imenso reconhecimento global, são um testemunho do poder do branding bem executado. Porém, por trás dos holofotes, uma gestão financeira sólida é essencial para sustentar essa imagem e garantir que a empresa possa crescer e prosperar a longo prazo. Mesmo trabalhando muito bem a imagem da sua marca, praticando um preço alto e tendo muitas vendas, você ainda pode não ter lucro com o seu negócio. Isso mesmo, não é para te assustar, mas para alertar sobre um fato que muitos empreendedores se perdem no meio do caminho do empreendedorismo por conta de ignorar a gestão financeira da empresa.

O caso da SouthRock nos mostra que, mesmo com marcas de alto calibre sob sua gestão, desafios financeiros podem surgir e temos que estar preparados.

Desta forma, uma marca só pode florescer se for sustentada por fundamentos financeiros sólidos. Isso implica em realizar de forma rotineira várias ações, entre as quais:

  1. Alinhamento de Preços e Custos: É vital garantir que os preços de produtos ou serviços não apenas reflitam o valor da marca, mas também cubram os custos e deixem uma margem de lucro saudável. Somente pensar em determinar o seu preço pela concorrência, determinando que seu negócio trabalha com preço baixo ou preço alto de forma simplória, é como determinar que o tempo da sua empresa está contado para fechar.
  2. Acompanhamento do Fluxo de Caixa: Monitorar as entradas e saídas de dinheiro é fundamental para entender a saúde financeira da empresa e prever possíveis desafios.
  3. DRE – Demonstrativo de Resultados do Exercício: Em termos simples, a DRE é um relatório que mostra o desempenho financeiro de uma empresa durante um período específico. Ele apresenta informações sobre receitas, despesas e, finalmente, o lucro ou prejuízo da empresa. É uma ferramenta indispensável para avaliar a eficiência operacional de um negócio.
  4. Gestão Financeira para Pequenas e Grandes Empresas: Não importa o tamanho do seu negócio, seja ele um MEI, uma pequena empresa ou uma corporação multinacional. Ter informações financeiras alinhadas, análises coerentes, planejamento e processos bem estruturados desde o início é crucial para colher bons frutos no futuro.

O caso da SouthRock destaca a complexidade dos desafios que até mesmo as grandes empresas enfrentam, especialmente em contextos econômicos desafiadores, com tantos concorrentes no mercado e exigências do consumidor. Mostra a necessidade de empresas de todos os tamanhos serem proativas, adaptáveis e, acima de tudo, bem informadas em suas decisões financeiras.

Por fim, enquanto o branding pode ser o que atrai os consumidores, é a gestão financeira que garante que a empresa continue a prosperar e a entregar valor. Equilibrar esses dois aspectos é o segredo para um negócio bem-sucedido e sustentável.

Referência: Portais Infomoney e Exame.

Artigos Relacionados

Receba os conteúdos em seu e-mail!

Preencha os campos abaixo e receba novidades em primeira mão!

Erro: Formulário de contato não encontrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *